A implantação da coleta seletiva faz parte do projeto Abra seus olhos e veja coisas novas. Foto: Paulinha Kozlowski.

A implantação da coleta seletiva faz parte do projeto Abra seus olhos e veja coisas novas. Foto: Paulinha Kozlowski.

Texto por Jonatan Silva

Como parte da proposta de uma postura mais sustentável, o Medianeira adotou a partir de julho a coleta seletiva em caráter definitivo. Foram instalados 46 conjuntos com seis coletores em diversos espaços do Colégio, 226 lixeiras para as salas de aulas e gabinetes – com divisórias para papel e resíduos orgânicos – e 8 coletores de cozinha, com espaços para papel, metal plástico e material orgânico.

O conceito de sustentabilidade envolve cinco ações básicas: reduzir, repensar, recusar, reciclar e reutilizar. É a partir dos “5 R’s” que o Colégio Medianeira se posiciona e se reinventa em busca de um mundo mais justo e solidário. A implantação da coleta seletiva é primeiro passo para um movimento que pretende repensar também como utilizar a água e a energia.

O professor Roberto Casagrande, responsável pelo projeto e pelo Centro de Educação Ambiental (CEA), vê na separação dos resíduos uma oportunidade de conscientização da comunidade educativa quanto ao papel de cada um nesse processo. “Todo mundo é responsável por dar o destino correto ao que produz. O Medianeira fez um importante investimento, mas é fundamental que todos participem”, explica o educador.

46 módulos para seis tipos de resíduos foram instalados no Medianeira. Foto: Paulinha Kozlowski.

46 módulos para seis tipos de resíduos foram instalados no Medianeira. Foto: Paulinha Kozlowski.

Pontos estratégicos

Os conjuntos de coletores foram espalhados em pontos estratégicos do campus. Para o professor Casagrande, a escolha dos locais foi idealizada de forma a criar uma reflexão em educadores, educandos e famílias sobre a importância do descarte adequado.

“A separação é um esforço que envolve todos, mas não devemos nunca pensar que cabe à equipe de limpeza fazer essa divisão. Estamos todos convocados a participar desse movimento”, afirma.

Educação ambiental

A coleta seletiva possui também o papel de protagonista na educação ambiental de alunos de todas as idades. O departamento de Comunicação, em parceria com o setor Acadêmico, está responsável por criar um material de apoio e orientação para fortalecer o processo de aprendizagem e troca de saberes.

Para a designer do Colégio Medianeira, Liliane Grein, a comunicação visual será o grande diferencial do projeto. Os alunos da Educação Infantil terão coletores adaptados, mais baixos (condizentes com a altura dos estudantes) e com a alfabetização visual que permite a identificação por meio de imagens. Já para as turmas letradas serão utilizados adesivos com palavras em caixa alta. A Unidade de Ensino dos 6º e 7º anos receberá coletores com referências mais descontraídas, enquanto as séries mais avanças terão uma comunicação mais formal, focada na linguagem universal.

“É preciso chamar a atenção dos alunos para a importância da coleta seletiva. Essa é também uma forma de aprender”, explica Liliane – que destaca a criatividade e o caráter de vivência do projeto, indispensável para a Aprendizagem Integral.

A coletiva seletiva faz parte também da proposta de Aprendizagem Integral e será trabalhada via currículo. Foto: Paulinha Kozlowski.

A coletiva seletiva faz parte também da proposta de Aprendizagem Integral e será trabalhada via currículo. Foto: Paulinha Kozlowski.

Respeito

Muito mais que o despertar para um comportamento mais sustentável, a coleta seletiva, assim como as outras ações do Abra seus olhos e veja coisas novas, pretende formar cidadãos conscientes de seu papel na sociedade e capazes de, com autonomia e compassividade, agir com mais respeito e zelo – consigo e com os demais.