Vamos lutar por algo?

//Vamos lutar por algo?

Olá, pessoal. Trago esse tema para discutirmos algumas ideias que afloram por aqui. Nesta próxima semana estaremos (acredito que boa parte de nós) ansiosos com o jogo decisivo que ocorrerá na Arena da Baixada no próximo domingo. Creio também que parte da população de Curitiba também aguarda, mas estes de forma cautelosa e até mesmo medrosa, pois nunca sabemos que rumo esse duelo pode tomar. Para alguns comentaristas esportivos esse pode ser o atletiba do século: nós dos verdinhos podemos chegar a vaga da Libertadores da América, os outros, vermelhinhos lutam para não cair para a série B do Campeonato Brasileiro. E é ai que entra uma pequena discussão a respeito da nossa forma (e pelo que) de torcer, lutar e brigar. Vivemos em uma época de reivindicações políticas em algumas regiões do mundo (norte da África e Oriente Médio, por exemplo), onde a população está indo às ruas em busca de seus direitos, governos desbancados, leis alteradas, mas, ainda brigamos e gastamos energia em prol de poucos objetivos. Voltando ao tema dos jogos, volta e meia alguma informação a respeito de violência nos jogos de futebol é relatado na mídia, independente do resultado do jogo, alguns cidadãos tornam-se vândalos e se inicia uma verdadeira barbárie no próprio estádio, nas vias próximas, distantes, nos ônibus, pontos de ônibus, estações tubo, etc. Mas muitas vezes, não se sabe nem o porquêde tanta violência. Um foco se inicia e logo toma conta da massa, que engrandece o problema e ao mesmo tempo, não sabe nem porque e para que estão lutando. Assim, questiono, é por um jogo, um resultado que devemos nos “unir”? É porque meu time perdeu que devo tomar atitudes de luta? Se não, é porque ganhou? O que quero destacar aqui é simplesmente uma análise sobre o que estamos querendo, pelo que estamos lutando e como estamos fazendo isso. Temos vários exemplos de organização, de luta e até de morte por um ideal. E você, leitor, qual é a sua luta? E quais são as suas armas? Você luta através da violência ou por meio da paz?

E ao pensar no próximo domingo, vamos lutar sim, mas dentro de campo e de forma pacífica. É válido se emocionar, chorar, gritar, berrar, ser feliz e ser triste, mas na melodia do bem e da paz!

Nicole Witt

By | 2011-11-30T11:50:51+00:00 novembro 30th, 2011|Consciência Planetária|1 Comentário