Coronavírus: o que você precisa saber

Entenda a doença causada pelos coronavírus e saiba como se proteger

30/01/2020 Notícias| Coronavírus

Parte de uma grande família viral, os coronavírus causam infecções respiratórias em seres humanos e animais. O vírus pode causar doença semelhante a um resfriado comum, que pode ser de leve a moderado, mas, dependendo da variação, causa síndromes respiratórias graves. Os sintomas da doença podem envolver coriza, tosse, dor de garganta e febre.

Os coronavírus geralmente infectam apenas uma espécie animal ou, pelo menos um pequeno número de espécies proximamente relacionadas. Porém, alguns coronavírus podem infectar pessoas e animais.

A transmissão ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas na pessoa infectada. Mas é possível que a transmissão viral ainda ocorra após a resolução dos sintomas. Durante o período de incubação, de 2 a 14 dias, e em casos assintomáticos, o vírus não é contagioso.

O período de transmissibilidade de vírus semelhantes, como SARS-CoV e MERS-CoV é desconhecido. O que se sabe é que todos os coronavírus são transmitidos de pessoa a pessoa e, ao longo da vida, a maioria das pessoas é infectada com coronavírus comuns, como alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Histórico

Em 2002, a síndrome respiratória aguda grave,  que ficou conhecida pela sigla SARS (Severe Acute Respiratory Syndrome), causada pelo coronavírus associado à SARS (SARS-CoV), teve os primeiros registros na China, disseminando-se rapidamente para mais de doze países na América do Norte, América do Sul, Europa e Asia, e, infectando mais de 8.000 pessoas, causou cerca 800 mortes. Por volta de 2003, a epidemia global de SARS foi controlada e, a partir de então, nenhum caso de SARS foi relatado mundialmente.

Em 2012, um novo coronavírus foi identificado na Arábia Saudita e, posteriormente, em outros países do Oriente Médio, na Europa e na África. Os casos identificados fora da Península Arábica tinham histórico de viagem ou contato com viajantes procedentes de países do Oriente Médio – Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes e Jordânia. A doença foi designada como síndrome respiratória do Oriente Médio, sob a sigla MERS (Middle East Respiratory Syndrome), associada ao coronavírus MERS-CoV.

O 2019-nCoV é o coronavírus mais recentemente descoberto. Detectado primeiramente na província de Hubei, cuja capital é Wuhan, foi isolado no dia 7 de janeiro de 2020. Antes de sua identificação, a China já havia informado a Organização Mundial de Saúde (OMS), no dia 31 de dezembro de 2019, da ocorrência de uma pneumonia de causa desconhecida. A primeira morte em decorrência desse novo vírus aconteceu no dia 11 de janeiro de 2020 e, até o dia 24 de janeiro, outras 26 mortes e mais de 900 casos foram confirmados em todo o mundo. Inicialmente, acreditou-se que a doença era transmitida apenas de animais para humanos. Entretanto, após o aumento do número de casos, descobriu-se que a transmissão poderia ocorrer, também, de uma pessoa para outra.

O QUE É?

Um tipo de vírus que recebe o nome coronavírus (corona significa coroa em italiano e espanhol) porque, no microscópio, parece uma coroa. Pode infectar animais e pessoas e causar doenças respiratórias, como resfriados, pneumonias, etc.

SINTOMAS

Febre, tosse, falta de ar que pode até, em casos mais graves, evoluir para pneumonia, síndrome respiratória aguda ou grave ou insuficiência renal.

ONDE E COMO SURGIU?

Provavelmente em algum mercado da cidade chinesa de Wuhan, onde são vendidos animais vivos para alimentação humana.

PREVENÇÃO

Para se prevenir de doenças causadas por coronavírus, as principais medidas são:

– Evitar contato próximo com pessoas que apresentam infecções respiratórias;

– Lavar bem as mãos;

– Evitar tocar os olhos, nariz e boca sem ter higienizado as mãos;

– Evitar compartilhamento de objetos de uso pessoal, tais como copos e talheres;

– Evitar contato com animais doentes;

– Cozinhar bem ovos e carne.

TRATAMENTO

Não há nenhum remédio disponível para combater o coronavírus de Wuhan. O tratamento recomendado é o de suporte dos sintomas da doença.

CASOS CONFIRMADOS

Na China, quase 500 pessoas já foram infectadas e cerca de 1.400 estão sendo monitoradas pelo governo. Há também casos confirmados na Tailândia, Taiwan, Vietnã, Arábia Saudita, Cingapura, Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos.

E NO BRASIL?

Segundo o Ministério da Saúde, 5 casos suspeitos de síndromes respiratórias foram notificados, mas nenhum deles se enquadrou nas definições do coronavírus chinês.